Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

A Fundação LIGA

Sobre a Fundação

A Fundação LIGA, publicamente constituída a dois de Março de 2004 por personalidades de diversos sectores da sociedade portuguesa, surge na continuidade das associações fundadoras, a LPDM Centro de Recursos Sociais (1994) e a Liga Portuguesa dos Deficientes Motores (1954), a primeira resposta neste domínio, organizada pela sociedade civil. Sobre a matriz dos valores morais e éticos da cultura fundacional, a Organização atualiza o discurso e a ação segundo os conceitos da Funcionalidade Humana e do Design e Sociedade e assume como conceito chave, o da Habilitação.
 
Define como orientação da intervenção, procurar responder às necessidades e interesses de cada cliente na sua circunstância, e atualmente abrange cerca de 1.600 Pessoas/ano, entre os zero e os mais de cem anos, com condicionamentos da sua funcionalidade física, social e/ou cultural e concretiza-se em programas/serviços abrangentes, nas áreas da Investigação, da Intervenção Precoce na Infância, da (Re)Habilitação, da Formação Profissional e da Empregabilidade. Inclui ainda, programas dirigidos ao desenvolvimento de capacidades complementares essenciais ao pleno desenvolvimento humano, nas áreas da Acessibilidade e Vida Autónoma, do Desporto, da Recreação, da Arte e da Cultura.

Visão

Reconhecer a Pessoa única e irrepetível na sua identidade e dimensão física, psíquica e social. 
 
Participar no avanço das fronteiras do conhecimento, na área das Ciências da Funcionalidade Humana e do Design e Sociedade, numa liderança responsável e compartilhada, produzindo e transmitindo ideias e resultados que possam contribuir para o desenvolvimento de uma cultura social participativa, consequente para a melhoria dos padrões éticos e da realização humana.

Missão

Criar os recursos adequados e especializados para cada cliente para o desenvolvimento de competências essenciais para o reconhecimento da pessoa na sua diversidade e no pleno e equitativo exercício dos seus Direitos Fundamentais.
 
Assegurar, sempre que solicitado pelas Famílias, a tutela cívica a Pessoas dependentes, para lá do tempo de vida daqueles de quem dependem.
 
Contribuir para a humanização e sustentabilidade da sociedade portuguesa, através de divulgação adequada sobre as novas questões sociais e culturais que a atualidade vem colocando.

Valores

Respeito
pela dignidade da Pessoa
 
Competência
no caminho da excelência
 
Inovação
para criar futuro
 
Responsabilidade
na governação
Facebook Linkedin Twitter Google + Pinterest